Raspar a gengiva: entenda como a raspagem periodontal funciona

Raspar a gengiva: entenda como a raspagem periodontal funciona

08/11/2022 - Por: Isabelle Lima

O processo de raspar a gengiva é muito importante em casos de tártaro e outros tipos de enfermidades que podem acometer esse tecido. A raspagem garante a saúde dos dentes e impede que o quadro se agrave causando processos infecciosos e inflamatórios no tecido gengival.

Assim, devido ao fato de a gengiva ser importante para o revestimento do osso que é responsável por sustentar os dentes, ela merece total atenção e o paciente precisa mantê-la saudável e funcional.

Neste texto você descobre as principais informações a respeito da raspagem da gengiva e dos dentes e identifica os cuidados que devem ser tomados após passar por esse procedimento.

Quando raspar a gengiva?

Raspar a gengiva é um procedimento odontológico realizado nos casos em que essa estrutura está acometida por tártaro, devido ao acúmulo de placa bacteriana rígida. Assim, o tártaro pode causar episódios de gengivite em que a gengiva fica inflamada e suscetível às infecções bacterianas.

Alguns fatores de alerta que podem prejudicar a saúde da gengiva são:

  • Higiene imprópria;
  • Baixa imunidade;
  • Estresse;
  • Tabaco;
  • Hábitos alimentares inadequados.

Esses são apenas alguns casos em que a saúde da gengiva pode ficar comprometida, tornando-a suscetível aos acúmulos de placa bacteriana e outras complicações.

O que é a raspagem periodontal?

Uma raspagem periodontal é um procedimento que realiza a remoção de tártaros e cálculos presentes na superfície dos dentes. Nesse sentido, elimina tóxicos que podem vir a causar prejuízos ao periodonto.

Assim, a Periodontia é uma área especializada tanto no tratamento quanto na prevenção de enfermidades dos tecidos que protegem e sustentam a dentição, gengiva e ossos.

O fator de risco para o desenvolvimento de doenças periodontais é o acúmulo de placa bacteriana, que pode se transformar em tártaro e evoluir para uma gengivite.

Então, caso a gengivite não seja efetivamente tratada, o caso pode migrar para uma periodontite, que é um processo infeccioso que acomete os tecidos periodontais, causando muita dor e risco para a saúde da arcada dentária.

Por que fazer a raspagem?

Raspar a gengiva e os dentes é um processo indicado em algumas situações. Em suma, a raspagem tem a função de:

  • Remover placas bacterianas e cálculos dentários;
  • Reduzir o grau de infecção bucal;
  • Melhorar a saúde dos tecidos;
  • Reduzir e curar os processos inflamatórios/infecciosos;
  • Tratar o sangramento gengival;
  • Evitar a perda dos dentes;
  • Deixar a boca esteticamente agradável, nos casos de retração gengival.

Em síntese, raspar a gengiva é uma ação indicada para níveis mais sutis de questões gengivais. Assim, para questões mais severas pode ser necessária a realização de procedimentos cirúrgicos.

Em quais situações a raspagem de dente é indicada?

A raspagem de dentes é indicada quando o paciente apresenta situações como:

  • Presença de tártaro;
  • Acúmulo de placa bacteriana;
  • Sangramento e inflamação da gengiva;
  • Infecção bucal;
  • Retração da gengiva;
  • Dentes ameaçados.

Para definir qual o melhor método de tratamento, o dentista deve ser procurado. Assim, o mesmo irá avaliar o grau da enfermidade e identificar se realmente existe a necessidade de raspar a gengiva e o dente.

Nesse sentido, se a enfermidade gengival não for tratada de forma efetiva pode desenvolver complicações como:

  • Mau hálito;
  • Sorriso desarmônico;
  • Infecções por bacteremia;
  • Perda óssea e dificuldade em tratamentos protéticos;
  • Perda do dente.

Raspar a gengiva

Como funciona a raspagem de dente na prática?

Veja como funciona a raspagem de dente em apenas 3 passos:

  1. Primeiramente, o especialista irá realizar um exame clínico na boca do paciente;
  2. Logo em seguida, o aparelho de remoção será aplicado para retirar o tártaro. Esse aparelho é responsável por eliminar a placa bacteriana tanto da coroa do dente quando da linha abaixo da gengiva;
  3. Por fim, com a remoção concluída, o dentista limpa os resquícios da superfície do dente e da gengiva.

Ressaltamos que apenas um profissional licenciado realizaresse tipo de procedimento, assim, o mesmo poderá raspar a gengiva e o dente com aparelho de ultrassom.

O tempo de procedimento depende da especificidade de cada paciente, relacionado ao grau de enfermidade presente em seus dentes e gengiva. Além disso, alguns casos podem ser resolvidos em apenas uma sessão ou levar de duas a quatro para serem concluídos.

Para pacientes com grau elevado de sensibilidade ou que estejam com a gengiva sensível ou inflamada, uma anestesia local poderá ser aplicada para bloquear a dor durante a raspagem.

Quais são os cuidados que devem ser tomados para prevenir o problema?

A prevenção é o melhor remédio, diz o ditado popular! Por isso, a melhor prevenção para a saúde dos dentes é higienização correta e o uso de fio dental.

Assim, ao escovar os dentes após as principais refeições e utilizar o fio dental ao final de cada escovação, o paciente evita o aparecimento da placa e do tártaro, o que por sua vez protege os dentes e a gengiva.

Outra dica é manter visitas periódicas ao dentista, permitindo assim que esse profissional analise a saúde das estruturas bucais. Dessa forma, mesmo que exista algum problema, será fácil resolvê-lo quando tratado ainda no início.

Quais são os cuidados que devem ser tomados após o procedimento de raspagem?

Os cuidados vão variar de acordo com o caso, assim as principais medidas a serem tomadas são:

  • Manter a escovação adequada dos dentes (no mínimo duas vezes ao dia);
  • Utilizar o fio dental com muito cuidado para não machucar a região tratada;
  • Utilizar uma pasta de dentes específica, nos casos de hipersensibilidade.

Mas, fique tranquilo! O profissional que realiza o processo de raspagem irá orientar sobre as atitudes que devem ser tomadas logo após o procedimento.

Por fim, é importante ficar atento ao processo de cicatrização do tratamento que deve ocorrer de forma progressiva e mostrar uma melhora já nos primeiros dias.

Em caso de dor persistente, latência e outros sintomas impróprios, vá imediatamente até a clínica e realize uma nova consulta!

Foto de Isabelle Lima

O Autor

Isabelle Lima

Física Médica (FFCLRP-USP). Especialista de Produtos da área de Ultrassom na Alliage.

Veja mais de "Isabelle Lima" >

Leia também: