O que é Radiologia, como funciona, quais são os exames?

O que é Radiologia, como funciona, quais são os exames?

16/09/2022 - Por: Cassiano Pires

Neste artigo, você encontra informações essenciais a respeito da natureza, funcionamento e procedimentos relacionados à Radiologia médica, entende quais são os profissionais responsáveis pela área e as subdivisões nas quais ela se ramifica.

O que é Radiologia?

A Radiologia é uma área da medicina que realiza o diagnóstico de diversas doenças, através de exames de imagem. Para isso, utiliza a radiação como forma não invasiva de acessar áreas internas do corpo do paciente.

Com o avanço na qualidade das imagens obtidas nos exames radiológicos, hoje existe a possibilidade de realizar diagnósticos a distância, através do que é conhecido como Telerradiologia.

Os profissionais que se especializam nesta área são os médicos radiologistas e técnicos em Radiologia. De tal forma que, cada um deles tem uma grande responsabilidade ao interpretar e executar as imagens produzidas durante os exames.

Como funciona?

Os procedimentos de Radiologia médica são realizados por equipamentos de raio-x, geralmente compostos por uma mesa articulada, que propicia a realização de imagens de diversas áreas do corpo, visto que, os raios são comumente direcionados a uma área específica.

Alguns dos componentes da mesa de raio-x são:

  • Colimadores;
  • Ampolas de Raio-x;
  • Feixe de Raio-x.

Quanto à realização dos procedimentos, o técnico prepara o ambiente e os pacientes. Então, um feixe de radiação é disparado na área que será examinada. Uma parte da radiação é absorvida pelo corpo, enquanto a outra é refletida pela placa de metal posicionada atrás da região, fazendo com que seja produzida a imagem.

O tempo de exposição e a quantidade de radiação são fatores determinantes para a qualidade da imagem de raio-x. Por isso, o técnico precisa calibrar o aparelho e se certificar de que tudo está em seu devido lugar, antes de iniciar o procedimento.

A especialidade radiológica dá suporte para a avaliação e diagnóstico de diversos pacientes, sejam eles cirúrgicos, pediátricos, internistas, entre outros.

Sua importância abrange tanto o diagnóstico de doenças quanto o tratamento de lesões, fatores que se apoiam no desenvolvimento e avanço tecnológico.

Como a Radiologia é dividida?

Existem três subdivisões da Radiologia médica. São elas:

  • Radioterapia: utiliza uma alta dose de radiação como estratégia de tratamento para doenças como o câncer. Assim, visa retardar o desenvolvimento e, até mesmo, eliminar células cancerígenas;
  • Radiologia diagnóstica: promove o diagnóstico de doenças presentes na estrutura interna do corpo;
  • Radiologia Intervencionista: através dos exames de imagem, orienta procedimentos e intervenções minimamente invasivas. Desse modo, o médico pode se orientar através de um monitor durante a realização do procedimento.

Quais são os exames de radiologia diagnóstica?

radiologia
imagem: freepik

 

  1. Densitometria óssea: mede a densidade óssea e pode identificar doenças como a osteoporose;
  2. Mamografia: permite a análise do tecido mamário, muito utilizado para identificar o câncer de mama;
  3. Medicina nuclear: tem objetivo diagnóstico e terapêutico, através do uso seguro de componentes radioativos;
  4. Radiologia odontológica: explora a arcada dentária, realizando diagnóstico para tratamento da saúde bucal;
  5. Radiografia (“raio-x”): investiga ossos e órgãos, através de baixas doses de radiação;
  6. Ressonância magnética: através de um equipamento de imagem, produz ondas eletromagnéticas para criar imagens tridimensionais de órgão do corpo humano;
  7. Tomografia computadorizada: valendo-se da mesma tecnologia que o Raio-x, a tomografia computadorizada é realizada em uma máquina que cria imagens de excelente qualidade e as transfere para o computador em tempo real;
  8. Ultrassonografia (“ultrassom”): procedimento utilizado para detectar a textura, tamanho e espessura dos órgãos. Tudo isso através de ecos ultrassônicos de alta frequência.

Esses são os exames radiológicos mais comuns, realizados com o intuito de diagnosticar doenças e promover tratamentos.

Na maioria dos casos, esses exames específicos ajudam a comprovar ou descartar suspeitas que o médico possa ter, em relação ao histórico de queixas do paciente.

Quais são os procedimentos da Radiologia intervencionista?

  • Angioplastia: é uma intervenção cirúrgica que tem como objetivo reparar vasos sanguíneos dilatados, deformados ou estreitados;
  • Paracentese: é um procedimento realizado na cavidade peritoneal. Desse modo, proporciona a redução da pressão dentro do abdômen, o que alivia a dispneia, dor e desconforto abdominal;
  • Drenagem biliar: é um procedimento médico que tem como fim drenar o acúmulo de líquidos dentro do fígado;
  • Injeção para bursite: são injeções de corticoides administradas para aliviar a dor em inflamações das articulações. Tais injeções são compostas por metilprednisolona ou triancinolona, em associação com lidocaína a 1-2%, e são aplicadas em pacientes com dor crônica;
  • Biópsia hepática: procedimento que retira pequenas amostras do fígado para análise;
  • Nefrostomia: intervenção cirúrgica no rim, em que é colocado um dreno em seu interior;
  • Ablação por radiofrequência: procedimento de “queima” por radiofrequência do tecido que causa arritmia cardíaca;
  • Acesso venoso central: inserção de um cateter em um grande vaso venoso do corpo.

A Radiologia intervencionista é realizada por médicos capacitados para desempenhar procedimentos invasivos, na maioria das vezes com o uso de agulhas e cateteres.

Acontece com o auxílio de métodos de imagem produzidos por angiógrafo, tomografia computadorizada​, Radiologia convencional com fluoroscopia, ressonância magnética e ultrassonografia.

A Radiologia intervencionista auxilia no tratamento de tumores, biopsias, colocação de stents e muito mais. Além de ser de grande importância para orientar procedimentos médicos que necessitam de alta precisão para serem realizados.

Quem atua em Radiologia?

A atuação em Radiologia é composta pelo médico radiologista e pelo técnico em Radiologia.

Cada um desses profissionais lida com responsabilidades específicas, na hora de diagnosticar ou orientar o tratamento dos pacientes.

Nesse sentido, o médico radiologista realiza o diagnóstico e orienta o tratamento de doenças através dos exames de imagem. Além disso, atua em procedimentos relacionados a Radiologia intervencionista.

Já o técnico em Radiologia é o profissional que irá preparar o paciente e realizar os exames de imagem na área solicitada, o que exige grande conhecimento das estruturas corporais e manuseio dos equipamentos.

Em outras palavras, o que ocorre na sala de procedimentos, principalmente no quesito segurança de outros funcionários e pacientes, é de responsabilidade do técnico em Radiologia.

Por fim, o técnico ainda manipula as imagens para garantir um resultado adequado e deve arquivá-las para que o médico radiologista possa acessá-las no futuro.

Como é a formação de um médico radiologista?

A especialização de um médico radiologista ocorre apenas depois da conclusão do curso de medicina, o que inclui as 7 mil horas de residência exigidas para que o profissional se torne um médico.

Durante a residência, o futuro médico irá conhecer muitos profissionais e especialidades, o que pode ser o momento ideal para descobrir quais são os desafios e peculiaridades da especialização em Radiologia médica.

Esse conhecimento mostra se essa é ou não uma área de interesse para o profissional!

Veja abaixo, o passo a passo para um médico que deseja se especializar nessa área:

  1. Primeiramente, é necessário realizar Residência médica em Radiologia e Diagnóstico por Imagem, durante um período de 3 anos (com a aprovação do Conselho Federal de Medicina);
  2. Ao se tornar um médico radiologista “generalista” (que ainda não tem especialização dentro da área Radiologia), o profissional deve realizar um exame teórico-prático do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR). Então, terá certificado de especialista;
  3. Para ser um expert em determinada área, o médico radiologista deverá realizar entre 1  e 2 anos de especialização, focando em áreas como abdominal, cabeça, pescoço, mama, ultrassonografia, musculoesquelética, entre outras.

Como é a formação de um técnico em Radiologia?

Para cursar o técnico em Radiologia, o estudante precisa ter o ensino médio. Assim, terá acesso a especialização para atuar em clínicas, hospitais e laboratórios.

A formação técnica em Radiologia tem como finalidade o preparo de profissionais capacitados a realizar exames de imagem, em um tempo hábil de formação, que pode durar de 18 a 24 meses.

Mas não se engane! Por mais que o técnico em Radiologia seja um curso de curta duração, os conhecimentos adquiridos são de extrema importância, já que este profissional estará condicionado a lidar com a radiação todos os dias, e precisará proteger a si e aos seus pacientes.

Nesse sentido, esse profissional conta com benefícios como: adicional de insalubridade, aposentadoria antecipada e carga horária reduzida. Assim, pode prevenir futuros desgastes a sua saúde.

Qual a diferença entre o curso técnico e tecnólogo de Radiologia?

O curso técnico em Radiologia é considerado de nível médio e tem duração de até dois anos. Já o curso tecnólogo em Radiologia, tem caráter de graduação e sua duração se estende para 3 anos. Assim, ao finalizá-lo o aluno poderá fazer pós-graduação e outras especializações.

Ressonância magnética faz parte da Radiologia?

Sim! O procedimento é realizado por um técnico em Radiologia qualificado. Mas, é importante lembrar que apenas o médico radiologista pode realizar diagnóstico acerca das imagens produzidas pelo procedimento.

A ressonância magnética é o único exame de imagem que não utiliza radiação e conta com nível de segurança muito elevado, em comparação aos procedimentos que utilizam raio-x.

Ele é realizado através de um campo de onda eletromagnético. Pacientes que possuem metais em seu corpo, como próteses, aparelhos dentários, acessórios, marca-passos, entre outros, não podem passar pelo procedimento.

No caso de pacientes idosos, o técnico ainda precisa se lembrar de questionar se os mesmos possuem obturações. Isso porque, no passado, as obturações eram feitas com material metálico e muitas dessas pessoas ainda as possuem.

Qual a segurança dos exames e procedimentos?

Cada procedimento de imagem a ser realizado na Radiologia médica envolve um grau de periculosidade diferente. Isso acontece porque, alguns diagnósticos, necessitam de maiores cargas ionizantes.

Então, para cada modalidade existe um procedimento específico, a fim de reduzir os riscos tanto para os profissionais quanto para os pacientes.

Alguns desses procedimentos incluem o monitoramento e controle das doses de radiação utilizada, ação que é pautada por uma ficha técnica específica. Além disso, existem recursos como colete protetor de chumbo, que cria uma barreira contra a radiação, e o fato de que o raio-x é direcionado a uma área específica do corpo no paciente, o que diminui sua incidência e intensidade.

Em resumo, a taxa de segurança depende de profissionais experientes que executam o procedimento, levando em consideração todos os EPI ‘s (equipamento de proteção individual) disponíveis.

O consenso médico é de que os riscos são insignificantes, quando comparados aos benefícios que podem proporcionar aos pacientes.

Quais são os riscos da Radiologia?

Os riscos da Radiologia variam de acordo com o procedimento a ser realizado. No caso dos exames de tomografia computadorizada, por exemplo, a radiação é muito baixa, o que torna o procedimento muito seguro quando realizado de forma correta.

Já em relação a ressonância magnética, é criado um campo eletromagnético externo que gera ondas eletromagnéticas e cria imagens. Então, esse campo pode se tornar perigoso para pacientes que tenham metais em seu corpo.

Outra especificidade é em relação à medicina nuclear, que trabalha com a injeção, inalação ou ingestão de substâncias chamadas radiofármacos. Neste procedimento, em que o paciente é submetido a uma câmara especial para detectar a radiação emitida, existem alguns riscos como reações alérgicas. Mas essas reações são muito raras, tornando o risco bem pequeno.

Por fim, a ultrassonografia vale-se de ondas sonoras de alta frequência para produzir seus resultados de imagem. Em ultrassonografias a taxa de risco é insignificante.

Perguntas frequentes

O que é feito em Radiologia?

São realizados exames de imagem através de radiação. Esses exames têm como finalidade mostrar partes internas do corpo, de forma não invasiva ou minimamente invasiva. No geral, tais exames são muito seguros e possibilitam o diagnóstico e tratamento de diversas doenças.

Veja os principais procedimentos realizados em Radiologia abaixo:

  • Densitometria óssea;
  • Mamografia;
  • Medicina nuclear;
  • Radiologia odontológica;
  • Radiografia (Raio-x);
  • Tomografia computadorizada;
  • Ultrassonografia (ultrassom).

O que o profissional de Radiologia faz?

O médico radiologista é responsável por diagnosticar e tratar pacientes através de exames de imagem. Isso inclui a realização de procedimentos de Radiologia intervencionista, com o uso de imagens para cirurgias precisas.

Já o técnico em Radiologia, é o responsável pela realização dos exames de imagem e arquivamento de resultados para o acesso médico. Além disso, tem como responsabilidade garantir tanto a sua segurança quanto a do paciente em questão.

Foto de Cassiano Pires

O Autor

Cassiano Pires

Cirurgião-dentista, mestre e doutorando em Endodontia (FORP-USP). Especialista em Radiologia e Imaginologia (AORP). Especialista de Produtos da área de Imagem na Alliage.

Veja mais de "Cassiano Pires" >

Leia também: