Radiografia periapical alongada: tudo que você precisa saber sobre o fenômeno

Radiografia periapical alongada: tudo que você precisa saber sobre o fenômeno

24/10/2022 - Por: Ademar Junior

A radiografia periapical é um exame que proporciona a imagem detalhada das estruturas dentárias, capturando elementos da coroa da raiz dos dentes, além do seu entorno. Dessa forma, uma radiografia periapical alongada é um erro que pode ocorrer na produção dessas imagens, prejudicando o diagnóstico do paciente.

Esse tipo de erro decorre do posicionamento incorreto do paciente e da manipulação inadequada do equipamento radiográfico. Isso porque, existe uma série de elementos que devem ser avaliados na hora de realizar a imagem periapical do paciente.

Nesse artigo, você encontra informações valiosas a respeito da radiografia periapical alongada, identifica os principais erros cometidos na realização dessas radiografias e compreende por que esse exame é importante para o diagnóstico dos atendidos.

O que é uma radiografia periapical alongada?

Uma radiografia periapical alongada é um erro que ocorre na produção da imagem, devido ao posicionamento incorreto do filme radiográfico. Assim, existe uma distorção na radiografia que faz parecer que o dente do paciente é muito maior do que realmente é. Além disso, esse tipo de erro inviabiliza a análise e diagnóstico corretos.

Por isso, é muito importante que o profissional responsável por realizar a radiografia periapical tenha experiência e cuidado, já que nos casos de imagens alongadas, será necessário refazer o exame, o que submete o paciente a uma nova carga de radiação.

As radiografias periapicais são muito comuns nos consultórios odontológicos, por isso os erros radiográficos nesses exames intrabucais são recorrentes.

Uma radiografia periapical alongada pode ser formada por erros no posicionamento do filme, no tempo de exposição, pelo aumento da distância foco/filme sem compensação de exposição, processamento incorreto, entre outros.

Qual a importância de uma radiografia periapical?

A radiografia periapical é muito importante por ser um exame de imagem complementar, que auxilia o especialista no diagnóstico de diversas doenças. Assim, ao realizar esse procedimento, o paciente terá uma fotografia das partes internas da dentição.

A radiografia periapical registra um único dente ou região e revela as estruturas que compõem a raiz, a coroa e o entorno da dentição.

Através desse tipo de exame, é possível identificar lesões, fraturas, anomalias, reabsorções e outros danos, que podem acometer os dentes do paciente.

Por ser um exame tão detalhado, é possível realizar a radiografia periapical de cada dente, contemplando assim toda a boca do paciente. Dessa forma, o dentista tem um quadro global a respeito das necessidades do mesmo e pode encontrar o melhor tratamento para saná-las.

Quais tipos de erros são possíveis?

Alguns erros são mais comuns na hora de realizar um exame radiográfico. Assim, desde o posicionamento incorreto do paciente, à calibração incorreta do equipamento e à qualidade do filme radiográfico podem influenciar na qualidade da imagem.

Neste tópico, você vai identificar dois dos principais erros realizados numa radiografia periapical. Veja abaixo:

Erro por movimentação

Para que o exame seja realizado com sucesso, o paciente é orientado a permanecer imóvel. Nesse sentido, uma imagem borrada, desfocada ou tremida pode acontecer se o paciente se movimentar ou no caso de movimentação do cabeçote e filme radiográfico na máquina.

Esse tipo de erro inviabiliza a imagem e faz com que o radiologista precise refazer o exame.

Erro por sobra excessiva (filme alto)

Esse tipo de erro se dá devido ao posicionamento do filme radiográfico. Assim, no momento em que a borda do filme ultrapassa a face incisal ou oclusal além da média recomendada (3 a 5 mm), a imagem contem um corte no local das estruturas apicais.

Esse fator causa a radiografia periapical alongada e exige que o exame seja refeito.

Qual a posição correta que o paciente deve ser colocado para a tomada radiográfica periapical?

Para evitar uma radiografia periapical alongada indesejada, o radiologista responsável pelo exame deve posicionar a cabeça do paciente corretamente. Nesse sentido, na maxila a linha de camper deve estar paralela ao chão.

Em seguida, deve-se verificar a posição da linha do trato de comissura labial, que deve estar paralela ao plano horizontal (chão).

Por fim, o plano Sagital Mediano deve ser perpendicular ao plano horizontal.

Quais as principais técnicas aplicadas na radiografia periapical?

As técnicas mais utilizadas para a realização de radiografia periapical, são: bissetriz e paralelismo.

Confira as características de cada uma delas abaixo:

Bissetriz

A técnica de bissetriz, também conhecida como cone curto, se baseia na lei isométrica de Cieszynski. Segundo ela, “o ângulo formado pelo longo eixo do dente e o longo eixo do filme resultará em uma bissetriz, na qual o feixe de raios-x deverá incidir perpendicularmente”.

Assim, para realizar a radiografia periapical, o sensor, composto por uma placa de fósforo, é aproximado do palato ou assoalho da boca. Então o raio-x atinge de forma perpendicular a área entre o sensor e o dente e faz com que a imagem apresente o mesmo tamanho do objeto radiografado.

Paralelismo

Na modalidade de paralelismo, ou cone longo, o radiologista necessita de posicionadores específicos para posicionar o sensor de forma paralela ao eixo do objeto a ser radiografado. Assim, é possível reduzir as distorções na imagem e evitar uma radiografia periapical alongada, por exemplo.

Nesse sentido, dependendo do posicionamento do sensor, o paciente pode ter sua cabeça posicionada um pouco para trás.

Ao solicitar o exame de radiografia periapical, o dentista precisa indicar qual técnica será realizada, a bissetriz ou o paralelismo. Então o técnico em radiologia saberá como deve proceder.

F.A.Q

O que gera uma radiografia periapical alongada?

Esse tipo de erro é causado por posicionamento incorreto do filme. Nessa situação, o filme ultrapassa a face incisal ou oclusal além do recomendado (3 a 5 mm), o que causa o corte das estruturas apicais.

Quando a radiografia periapical é indicada?

Esse exame é indicado para avaliação e diagnóstico de pacientes ortodônticos, periodontais, lesionados ou em tratamento endodôntico, nos casos de dentes inclusos, impactados, entre outros.

Como é feita a radiografia periapical?

O radiologista posiciona um equipamento na boca do paciente chamado posicionador.

É no posicionador que a imagem será formada. Assim, basta que o paciente fique imóvel, para que a imagem seja gerada quando o radiologista disparar o Raio-x do aparelho.

Qual o objetivo da radiografia periapical?

O objetivo da radiografia periapical é captar uma imagem radiográfica da anatomia de um ou mais dentes, que contenha de forma detalhada as estruturas da coroa até a raiz da dentição, além de suas estruturas circundantes.

Foto de Ademar Junior

O Autor

Ademar Junior

Administrador. Mestrando em administração. MBA em gestão empresarial. Especialista de Produtos da área de Imagem na Alliage.

Veja mais de "Ademar Junior" >

Leia também: